Pelé falaria

- Gente, isso nunca aconteceu comigo antes, entende?

Ontem o Raul muito oportunamente celebrou os quarenta anos do gol Mil do Pelé no Maraca, feito histórico.

Como ex-jogador o Pelé – ou seria o Édson?- especializou-se em feitos não muito gloriosos.

Entre a operação de reversão da laqueadura, que possibilitou que tivesse os dois filhos com a Assíria, sua carreira bissexta como compositor de jingles institucionais para uma campanha de alfabetização (e seus bizarros duetos com a Elis Regina e Jair Rodrigues), sua breve experiência como técnico dos juvenis do Santos e muitas outras, a menos glorisa  para mim, de longe, é sua faceta de garoto propaganda.

Quem não se lembra de comercial onde o Pelé alertava aos impotentes sexuais do Brasil: “fale com seu médico, eu falaria”?

Como assim Pelé?  Tá bom, é uma causa nobre acabar com certos tabus para que as pessoas sejam mais felizes sexualmente. Mas será que depois de tantas polêmicas, como suspeitas de corrupção em algumas de suas empresas de licenciamentos, a prisão de seu filho Edinho por tráfico de drogas e outras, ele precisava participar de mais uma piada pronta como essa?

Pelé é  um expoente dentre as celebridades que se prestam a publicidades desabonadoras. São comerciais de produtos duvidosos, ou de causas duvidosas, dos quais a imagem do envolvido nunca se beneficiará e cuja única explicação razoável para aceitar participar é a grana, fator que, no caso de Pelé, não conta.

Ana Maria Braga fazendo campanha do Ministério da Saúde para incentivar o exame de próstata. E o pior, de luvinha! Lúgubre, eu diria. Sujeito vê aquilo e pensa que a mãe do Loro José que vai fazer o exame pessoalmente.

Alguém lembra da Arlete Salles fazendo propaganda de fixador de dentadura? Arlete, você, uma atriz talentosa, com uma história bonita nos palcos e televisão: complicado.

- Por um sorriso mais firme!

Outra coisa que me irrita profundamente são algumas anúncios que aparecem constantemente na mídia impressa, sobretudo no vidro traseiro dos ônibus. Neles, uma celebridade aparece numa foto associada a um produto, seja ele Cogumelo do Sol, um liquidificador de última geração (embora os liquidificadores sejam uma espécie de vídeocassete dos utensílios de cozinha), uma camisinha aromatizada ou um creme de barbear. A peculiaridade destes anúncios é que a celebridade em questão não tem nenhum contato físico com o produto: o sujeito não está segurando o suco de caixinha e sorrindo como quem diz ‘experimente’; ele está tão somente sorrindo ao lado de uma foto do produto que, por sua vez, foi anexado digitalmente a posteriori.

Ou seja, o sorriso do Édson Celulari para vender um creme de depilação para homens, é, na verdade, uma foto de divulgação reciclada ou uma pose bonachona para o fotógrafo da Caras no aniversário de seu filho.

Existe coisa mais errada do que esse princípio? O que esses publicitrários esperam? Que eu pague pau pra celebridade e compre o produto tão somente porque ele cedeu os direitos de imagem para aparecer no anúncio, sem que o designer nem tivesse se dado ao trabalho de photoshopar a mão do cara segurando o produto?

Em suma: uma coisa profundamente errada, aliás, como toda a publicidade, porque não venham me dizer que uma área profissional cujo objetivo é te convencer de que você precisa de algo que você não precisa não é uma coisa moralmente duvidosa.

Dentre todos esses anúncios impublicáveis há, contudo, um campeão.

Estão lembrados da estapafúrdia campanha: “O que o Juca de Oliveira está fazendo nesse comercial da UNIBAN?”.

Durante meses fomos assombrados com essa dúvida insolúvel em anúncios na televisão, no rádio, mídia impressa e Internet. Eu pensava que seria uma resposta no mínimo retumbante, afinal, não era a Fernanda Lima, o Zezé di Camargo ou o Luciano Huck mas o Juca de Oliveira!

No final das contas não era nada: as tantas pessoas que mandassem as melhores respostas ganhavam vagas ou coisa que o valha.

E assim essa épica questão ficou sem resposta.

Mas eu sei o que o Juca de Oliveira estava fazendo num comercial da UNIBAN.

Ele estava lá pra xingar aquela vagabunda da Geisy!

- Sua degenerada!

Anúncios

4 respostas para Pelé falaria

  1. Alzira disse:

    Concordo plenamente afinal, alguém acredita que a XUXA usa na sua pele maravilhosa um leite hidratante com o nome PAIXÃO?!?!?!?!?! Provavelmente a badaladíssima Dra. Ligia Kogos deve ter indicado. Para quem quiser ter uma pele como a da Xuxa e comprar o produto, custa R$4,40.

  2. Maria Isabel Caram Abduch disse:

    Ótimo…
    estou chorando de rir, quase que nem quando ouvi a piada do Marcelo Camelo/pelos/dente de leite…
    Aaahhhhh, você entendeu.

    Gênio, por isso que eu adoro este rapaz.

    Bel

  3. Alzira disse:

    Ops! Desculpem-me, quem usa o creme Paixão é a Sandy, a Xuxa usa o Monange (é mais caro 6,04).

  4. Laura disse:

    Só faltou mencionar o Antônio Fagundes, com camisa cinza e pizzas enormes embaixo do suvaco fazendo propaganda da FISK (!)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: