HOJE NA TV: Falcão Negro em Perigo

22/10/2009

Ridley Scott já foi um cineasta interessante. Seu cinema partia dos gêneros cinematográficos consolidados para infiltrar a questão do ser humano num mundo que, já no final da Guerra Fria, se mostrava exponencialmente mais selvagem e destruidor. Assim era em Blade Runner e Alien, mas já havia um germe disso tudo em Os Duelistas, onde, ao invés de ir ao futuro, voltava ao momento de natalidade do mundo moderno (a Revolução Francesa).

Muito diferente de Falcão Negro em Perigo, filme de invasão militar que não contesta nada e se detém em reproduzir velhos conceitos (ainda que sejam poucos). O principal é, obviamente, o velho lema “we don’t let anyone behind”. O “baseado em fatos reais” existe aqui apenas para defender esta mística beligerante. Contudo, o que mais fica na memória é o retrato simplista do homem africano, pintado como um selvagem que agora (anos 90) tem armas de fogo, artilharia pesada e poder de matar para exibir o corpo do inimigo morto. O terror bushista com valores bushistas, portanto.

É uma visão de mundo, portanto, ultrapassada, cheia de ilusão e do perigo “ouvi dizer”, longe do contato direto com o outro, anterior, enquanto conceito, a Jean Rouch e seus documentários etnográficos. Nada mais longe da visão humanista do jovem Ridley Scott.

Falcão Negro em Perigo (Black Hawk Down, 2001), dir. Ridley Scott (AXN – 22h)

Anúncios

HOJE NA TV: Viagem a Darjeeling

14/10/2009

darjeeling limited

Assim como em …Tenenbaums e …Stevie Zissou, Viagem a Darjeeling trabalha no terreno da paternidade e suas disfunções. Diferente de lá, o pai em questão não está presente na tela pela morte e isso requer dos filhos um deslocamento pelo desconhecido. Estamos, portanto, numa espécie de road movie. Continue lendo »


HOJE NA TV: Onde os Fracos Não Têm Vez

13/10/2009

no country for old men

O que Onde os Fracos Não Tem Vez tem que relembra os grandes momentos dos irmãos Coen? Basicamente, a consciência de identidade do cinema popular de seu país.

Mesmo longe da comédia que consagrou a dupla, o filme parte do mesmo impulso de transitar por elementos que compõem as imagens de seu povo. Neste filme é o faroeste, os homens brutos, a ganância, a trapaça, a morte. Não estamos, contudo, num filme clássico e, logo, os elementos se misturam de forma mais contemporânea. Continue lendo »