Cléber Machado e o método auto-socrático

29/10/2009

A arte de narrar

“Vai ter música de vitória? A Ferrari não vai atrapalhar o nosso domingo?”

– Cléber Machado

Isso é Cléber Machado, o inventor do método auto-socrático. Trata-se de se colocar no lugar do outro e fazer a pergunta e dar a resposta para chegar a uma conclusão (que às vezes só o próprio Cléber Machado sabe qual é).

Com ele, não basta apenas narrar uma corrida ou um jogo de futebol. É preciso também entender o outro lado, dar voz ao outro. Cléber Machado fala como o que o povo gostaria de falar, fica se perguntando durante toda a narração como se uma vozinha estivesse em seu ouvido dizendo “o povo tá pensando isso, Cléber” e ele pergunta sozinho para ele mesmo dar a resposta. Algumas vezes ele pede ajuda para o time de comentaristas., mas a auto-suficiência é a marca registrada de seu método. Com Cléber no comando da transmissão, a “pergunta do internauta” durante as partidas se tornam obsoletas. O método clebermachadiano de transmissão é mais eficiente e econômico.

Por isso, vamos relembrar alguns momentos de Cléber Machado, o Ciro Bottini das transmissões esportivas: Continue lendo »

Anúncios

Pensamento Negativo

12/06/2009

Por que ter “Pensamento Positivo”?

Há uns seis ou sete (ou quem sabe oito, nove) anos atrás eu tinha um amigo que encasquetou em ser “pueta”. E ele até tinha talento, meio bobo (e reacionário) às vezes, mas escrevia bem e talz, aí entrou em dois concursos de poesia: do colégio e “Jovens Talentos de Osasco”. Foi tão incentivado pelo professor Amilton que se achou o máximo e ficou tranqüilo – principalmente porque Osasco não pode ser chamada de “Celeiro de Craques da Poesia”. Pois bem: ficou em 9º lugar no concurso da cidade e em quarto lugar no do colégio, perdendo para duas minas nerds e um cara de Eletrônica Noturno, o que, pra quem não sabe, no meu ex-colégio significa DUMB. A decepção foi tão grande que largou a poesia e virou inteiramente bobo (e reacionário).

Continue lendo »