As 100 Gostosas de 2010 da Maxim

18/05/2010

Capa da Maxim: Capricho ou não?

Da capo: todo ano, a revista Maxim elege as 100 gosto…

Antes disso: Existe uma revista chamada Maxim. É uma revista masculina dos anos 90, publicada na Inglaterra, mas que (imaginem!) foi exportada para os EUA e virou líder de mercado no segmento. Que setor? O da revistas feitas em torno do universo masculino. O leitor ou a leitora mais apressados podem pensar: mas 90% das revistas não são feitas com o universo masculino em mente? Calma, lá. A diferença é que nesse segmento de revistas, o universo masculino vem para primeiro plano, com matérias sobre sexualidade masculina, roupas, sonhos de consumo, homens os quais devemos nos inspirar e, obviamente, mulheres-que-sonhamos-um-dia-chegar-perto-mas-tomara-que-não-aconteça-senão-eu-vou-passar-vergonha. Em resumo: Maxim é a “Capricho” dos homens [assim como a GQ e a Esquire (sim, ela é isso)]. Continue lendo »

Anúncios

Brasil x Argentina

05/09/2009

Hoje tem Brasil x Argentina, o que significa, rivalidade, muita rivalidade, não importa o esporte. Mas principalmente no futebol, onde o clássico completa 101 anos.

Para temperar mais o jogo, tem Maradona, o deus dos hermanos, como técnico e os brasileiros, na crista da onda, provocando mais que o habitual, atitude historicamente associada aos porteños.

brasil x argentina

A rivalidade é tanta que passa para outros esportes, como o kung-fu

Até 1950, a vantagem era da Argentina: são 17 vitórias da Argentina, 9 do Brasil e 4 empates. A coisa se equilibrou nas décadas seguintes e hoje o Brasil tem ligeira vantagem. Sempre foi um jogo duro, brigado, suado. Hoje promete não ser diferente. O Brasil tem o talento de Kaká e Robinho. A Argentina tem Messi e Verón.

Maradona sabe que pode perder fácil, que sua seleção é mais frágil e, portanto, deve apostar na força da defesa para tentar parar Kaká – o cérebro do time. Se conseguir isso, o Brasil ficará mais dependente de Robinho, o que já se mostrou um tiro no escuro. Robinho pode decidir de vez em quando, mas só de vez em quando. Acontece que a seleção brasileira hoje está mais encaixada que a rival. Maradona ainda não conseguiu dar padrão de jogo à equipe. Se Kaká e Robinho não estiverem bem, o Brasil ainda pode se ajeitar em campo e vencer a partida; a Argentina precisa desesperadamente de Messi. Aí pode estar a diferença. Continue lendo »